Direto de Brasília – Janeiro

By 22 de fevereiro de 2018Renato Riella

Produção de grãos menor este ano

A produção de grãos da safra brasileira 2017/2018 pode chegar a 225,6 milhões de toneladas, segundo a Conab.Mesmo com um recuo de 5,1% em relação à safra passada, que foi a maior de toda a história (237,7 milhões de t), a safra deste ano deve fi car em segundo lugar entre todas as anteriores. Entre as culturas, a preferência do produtor segue pelo milho e a soja, que representam quase 88% dos grãos produzidos.

  Juros caem, mas bancos exploram

Juros caem, mas bancos exploram O Banco Central anunciou a queda da taxa básica de juros (Selic), de 7% para 6,75% ao ano. Logo depois, os principais bancos do país anunciaram a redução dos custos dos empréstimos que fazem à clientela, mas os brasileiros não acreditam nisso. Os juros do cheque especial e do cartão de crédito permanecem em faixas acima de 300% ao ano, o que parece assustador para todos os consumidores. Será que melhora?

 

FHC se aproxima de Huck e surpreende

No plano político, uma situação surpreendente vem do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que demonstra simpatia pela candidatura do apresentador Luciano Huck a presidente. O candidato natural do PSDB, Geraldo Alckmin (governador de São Paulo), está incomodado com isso e ainda tem outro problema: o ex-senador e atual prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, exige disputar a vaga em prévia dentro do partido.

 

Salário-moradia de juízes assusta

Em fevereiro, o salário-moradia da Justiça e do Ministério Público se transformou na maior polêmica. Ficamos sabendo que o juiz Fernando Bretas e a mulher (também juíza) recebem, cada um, mais de R$ 4 mil por mês desse benefício. O juiz Sérgio Moro, com casa própria em Curitiba, também não abriu mão da ajuda. E surgiu um juiz rico, que tem mais de 60 imóveis, e ainda assim exige receber o auxílio-moradia. Todos os brasileiros aguardam que o Supremo Tribunal Federal estabeleça regras para este abuso.

Febre amarela é fator de preocupação

O Brasil confi rmou 353 casos de febre amarela e 98 óbitos no período de 1º julho de 2017 a 6 de fevereiro deste ano. No mesmo período do ano passado, confi rmados 509 casos e 159 óbitos. Os números são do Ministério da Saúde. Os balanços foram encaminhados pelas secretarias estaduais de saúde. Ao todo, notifi caram-se 1.286 casos suspeitos, sendo que 510 foram descartados e 423 permanecem em investigação.

 

Previsto crescimento do PIB de 2,70%

O governo, através do Ministério do Planejamento, está otimista e atualizou a projeção para o crescimento da economia, este ano, de 2,5% para 3%. Os principais analistas financeiros, consultados semanalmente pelo Banco Central, estão mais contidos e acham que o crescimento do Produto Interno Bruto – a soma de todas as riquezas produzidas pelo país – será de 2,70% no final deste ano.

Ficha Limpa já tirou dez mil das eleições

A Lei da Ficha Limpa é clara: político condenado em segunda instância, por colegiado (turma de juízes), está inelegível. Em duas eleições municipais e uma eleição geral, mais de 10 mil políticos já foram afastados das funções, milhares deles proibidos pela Justiça Federal e muitos outros por autodesistência. O novo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luiz Fux, tranquilizou os brasileiros, ao dizer que a Justiça Eleitoral será irredutível na aplicação da Lei da Ficha Limpa.

 

Tudo indica que Lula será preso em março

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), sediado em Porto Alegre, publicou o acórdão da decisão que confirmou a condenação do ex-presidente Lula na ação penal envolvendo o trí- plex no Guarujá (SP) e aumentou a pena para 12 anos e um mês de prisão. A defesa de Lula apresenta os chamados embargos de declaração. Se estes forem rejeitados, o réu condenado pode ser preso ainda no mês de março, o que dará um choque no Brasil.

 

Inflação em 2018 pode ser maior que 2017

Analistas financeiros consultados pelo Banco Central prevêem que a inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), ficará em 3,94% ao final deste ano. Vale lembrar que a de 2017 estabeleceu-se ligeiramente abaixo dos 3%. Para 2019, os especialistas prevêem crescimento do PIB em 3% e IPCA em 4,25%.