Monthly Archives

junho 2018

Na Mídia – Junho

By | Pedro Abelha | No Comments

A NATUREZA NÃO PODE SE ADAPTAR A TUDO

Desenvolvida para chamar atenção sobre a degradação ambiental, a campanha publicitária assinada pela agência Avalanche Vitória para marca de roupa capixaba Origens foi selecionada para a exposição ACT Responsible Expo, que acontece no 65º Cannes Creativity Festival, entre 18 e 22 de junho de 2018, na França. Com o conceito “A Natureza não pode se adaptar a tudo”, as peças foram analisadas e selecionadas pela ACT Responsible Expo, entidade suíça que reúne as melhores campanhas e iniciativas em torno de questões sociais e ambientais. A exposição, que celebra o papel e o impacto da indústria publicitária em questões cruciais como a luta contra a pobreza e exclusão, prevenção de doenças, combate contra o aquecimento global, a defesa dos direitos humanos e a proteção da biodiversidade, será realizada no coração do Festival no Debussy Foyer, com o apoio do comitê organizador do Cannes Lions. O evento durará a semana toda, oferecendo um espaço para discutir e aumentar a conscientização sobre o papel e a responsabilidade do setor. As três imagens que vão participar da exposição, mesclam animais a cenários de devastação, chamando atenção para a cruel maneira de viver em um habitat no qual há resíduos que não pertencem ao mesmo. Como por exemplo, um pelicano teve a bolsa de seu bico substituída por um saco de lixo mostrando a força da degradação dos diversos ecossistemas. “Queremos passar a ideia de que ações humanas negativas interferem diretamente no meio ambiente e que, muitas vezes em função delas, algumas espécies podem não resistir”, diz Ricardo Montenegro, diretor de criação responsável pelas peças. A marca Origens reforça a cada coleção o seu engajamento com a preservação da natureza, conscientizando sempre sobre as ações negativas da humanidade e suas consequências ao meio ambiente. As lojas da marca estão localizadas no Espírito Santo, e seus produtos e os projetos já apoiados podem ser vistos por meio do site www.sejaorigens.com.br 

 

MERCADO VOLTARÁ A CRESCER

Uma das previsões divulgadas pela Análise de Tendências e Salários do Brasil 2018, estudo publicado pela Hays, é de que o mercado de Vendas e Marketing voltará a crescer no país. Após vivenciar um ano de estabilidade, onde o setor registrou mais investimentos na área de vendas do que na área de marketing, a previsão é que 2018 traga novas contratações. Em 2017, as posições na área de vendas receberam mais investimentos devido ao momento de recessão enfrentado pelo país. As empresas preferiram investir em cargos comerciais, levando em consideração que estas são as posições que podem reverter resultados a curto prazo. Ainda segundo o estudo, 2017 foi um ano onde o setor não registrou aumento salarial. No entanto, as remunerações deixaram de regredir, como ocorreu em 2016. Com as reestruturações, diminuição do quadro de funcionários e perda de recursos das empresas, os cargos de gestão começaram a atender diversas funções. Em alguns casos, posições gerenciais, como Business Development Manager (B2B) e Sales Manager (B2B), tiveram um incremento salarial superior à inflação registrada para justificar o aumento de responsabilidades.

 

RECUPERAÇÃO DA ESTABILIDADE

De acordo com Caroline Cadorin, diretora da Hays Experts, 2017 foi um ano mais voltado para a recuperação da estabilidade desse mercado. “A expectativa é que as empresas aumentem as contratações em 2018 e as equipes já visem uma entrega de números maior que os anos anteriores”, afirma Caroline. “Isso influencia diretamente no crescimento de estrutura”, finaliza. O estudo elaborado pela Hays apontou que a busca por profissionais com foco em desenvolvimento de mercado e prospecção de novos negócios aumentou, especialmente no mercado B2B. É possível notar essa mudança principalmente em cidades do interior de São Paulo, como Campinas. As posições em indústrias também estão em evidência, já que a tecnologia e a indústria química significam inovação e desenvolvimento. O mercado nacional tem muitas oportunidades nesses setores. A área de Marketing no interior começou a ganhar espaço em diversos níveis de senioridade e com foco no mercado B2B. No geral, em Vendas e Marketing foi possível notar um aumento de posições com atuação na América Latina, tanto no nível especialista como na alta gerência. Em 2018, os perfis que estão em alta no mercado são os de Key Account Manager(Consumo), Key Account Manager(B2B), Business Development Manager, Business Manager Latam, Gerente de Produtos e Gerente Nacional de Vendas. Os dados divulgados pelo estudo também apontam que o setor já mostra sinais de retomada e devem equiparar a remuneração com o nível de cada profissional, mesmo que sutilmente.

Direto de Brasília – Junho

By | Renato Riella | No Comments

Carlesse e Vicentinho disputam no Tocantins

Os candidatos Mauro Carlesse (PHS) e Vicentinho Alves (PR) vão disputar o segundo turno da eleição suplementar para o governo do Tocantins no próximo dia 24.

Sete pessoas foram presas durante a eleição. Cinco das prisões envolvem políticos que ocupam algum cargo, sendo três vice-prefeitos e dois vereadores.

 

Eduardo Cunha é condenado de novo

A Justiça Federal condenou o ex-presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha (MDB-RJ), a 24 anos e dez meses de prisão por desvios na Caixa Econômica Federal.

A 10ª Vara em Brasília considerou Cunha culpado pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e violação de sigilo funcional. No ano passado, em processo da operação Lava Jato, ele já foi condenado a 14 anos e seis meses de prisão.

Preços desafiam a

Petrobras este ano 

O presidente Temer confirmou Ivan Monteiro como novo presidente da Petrobras. Ele substitui de maneira efetiva Pedro Parente.

 “Nós continuaremos com a política econômica que tirou a empresa do prejuízo”, disse Temer. “Não haverá qualquer interferência na política de preços da companhia”, afirmou. No entanto, ele terá de levar em conta a insatisfação da população com os aumentos constantes dos combustíveis.

 

Jornalismo econômico com foco distorcido

Jornalistas respeitáveis afirmam, ao vivo, que “a Petrobras perdeu 70, 80, 90 bilhões num dia”. Má informação! A Petrobras teve queda momentânea do valor das suas ações, diante da revolta dos caminhoneiros. Mas, na volta à normalidade, essas ações devem recuperar níveis razoáveis.
Economia virou área mais popularesca do que futebol, onde costumamos usar os termos com mais propriedade.

 

Joesley paga multa por causa da delação

A defesa dos irmãos Joesley e Wesley  Batista, do grupo J&F, depositou em conta judicial R$ 11 milhões, que corresponde à primeira parcela da multa de R$ 110 milhões que está prevista em seu acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República (PGR).

O pagamento começou a ser feito mesmo depois de um pedido de rescisão da colaboração, feito pela Procuradoria Geral da República.

 

Mais 5,67% para a Bolsa-Família

O governo federal autorizou reajuste de 5,67% no valor mensal da Bolsa Família. O aumento começa a valer no dia 1º de julho.

O programa atenderá famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza, caracterizadas pela renda familiar mensal per capita de até R$ 178 e R$ 89, respectivamente. Hoje, esses valores são de R$ 170 e R$ 85, que beneficiam 13,8 milhões de famílias.

 

Registros sindicais sob muita suspeita

O Ministério do Trabalho suspendeu, por 30 dias, “todas as análises, publicações de pedidos, publicações de deferimento e cancelamentos de registro sindical”, que são executados pela Secretaria de Relações do Trabalho.

Haverá detalhamento das cartas sindicais emitidas ou recusadas nos últimos 30 dias, com o número de processo respectivo. Estão excluídos das exigências os processos com determinação judicial.  Espera-se que a corrupção no setor diminua.

 

Cartões de crédito com novas regras

Estão valendo novas regras do Conselho Monetário Nacional (CMN)  para o uso do rotativo do cartão de crédito. O destaque está para a limitação dos juros em atrasos e parcelamentos das contas no cartão, que deverão seguir as condições existentes no contrato de crédito rotativo regular.

Outro ponto é o fim da exigência de pagamento mínimo de 15% da fatura. Agora serão as instituições que definirão o percentual mínimo de pagamento.

E passagens aéreas não foram reduzidas

O preço das passagens de avião teve aumento real de 6% desde o início da cobrança pela mala despachada, há um ano. Companhias aéreas como a Azul já aumentaram a taxa de cobrança para malas de 23kg em 67%. A princípio, todas as empresas cobravam R$ 30 reais pelo serviço. Agora, a taxa chega a R$ 50.

Dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) apontam que o preço médio de uma tarifa aérea no Brasil passou de R$ 333,35 em junho de 2017 para R$ 354,02 em fevereiro deste ano.

 

Vai começar a Copa. Onde está a torcida?

Pesquisas indicam que o brasileiro “não está nem aí” para a Copa do Mundo. Mas isso deve mudar quando a bola começar a rolar, no dia 14, nos estádios da Rússia.

A Seleção Brasileira estreia no dia 17, contra a Suíça, pegando um adversário dificílimo, que vem crescendo nos últimos meses. Neymar parece que está recuperado e é a nossa maior esperança.

Opine Cidadão é um sucesso

By | Câmaras & Assembleias | No Comments

Plataforma digital da Assembleia Legislativa de Goiás

Pouco mais de um ano e meio desde o seu lançamento, o “Opine Cidadão”, plataforma digital vinculada ao site da Assembleia Legislativa, traz evidências de que está cumprindo sua finalidade de aproximar ainda mais o Parlamento da população goiana. Balanço divulgado pela Secretaria de Tecnologia da Informação (TI) mostra um crescente número de cadastros feitos para utilizar a ferramenta, um total de 21.650. O Opine Cidadão permite ao usuário manifestar sua posição favorável ou contrária sobre qualquer processo Legislativo em tramitação. O grande alcance que a plataforma possui vem ao encontro do que a atual gestão, presidida pelo deputado José Vitti (PSDB), anseia oferecer para a sociedade: mais transparência dos atos deste Poder e mecanismos que aprimorem o debate público.

De acordo com o chefe da Assessoria Adjunta de Desenvolvimento de Sistemas da Secretaria de TI, Eduardo Lagares, o Opine Cidadão teve, desde o seu lançamento, em 18 de outubro de 2016, um total de 808.686 páginas visualizadas. Ainda conforme Lagares, as inscrições feitas até o presente momento partiram de 782 municípios de todo o País, a maior parte situada em Goiás. A maioria, um total de 5.719, foi feita por cidadãos de Goiânia; 518 de Aparecida de Goiânia; 425 de Anápolis; 304 de Brasília; 239 de Luziânia; 193 de Rio Verde; 130 de Goianésia; 120 de Caldas Novas; além de outras cidades. Houve cadastramento de usuários em todas as regiões do Brasil, como nos Estados do Amazonas, Acre, Roraima, Pará, Tocantins, Alagoas, Bahia, Maranhão, Pernambuco, Sergipe, Mato Grosso, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Paraná.

Mais votadas

O último recurso adicionado ao Opine Cidadão foi uma aba com acesso aos 12 projetos de lei mais votados pelo público e o número de votos a favor ou contra de cada um deles. Atualmente, fazem parte desse ranking proposituras assinadas pela Governadoria do Estado, deputados, Tribunal de Justiça (TJ-GO) e pelo Ministério Público Estadual (MPE-GO).

Foz do Iguaçu presta contas da saúde

By | Câmaras & Assembleias | No Comments

Relatório foi apresentado à Câmara de Vereadores

A Secretaria de Saúde de Foz do Iguaçu apresentou à Câmara de Vereadores o relatório do primeiro quadrimestre de 2018 com destaque para o aumento expressivo de atendimentos da Atenção Especializada. De acordo com secretária de saúde Katia Yumi, o número de atendimentos aumentou devido à ampliação da oferta de especialidades médicas. Do ano passado até agora, o governo municipal contratou 173 novos médicos e também ampliou o Programa de Residência Médica, hoje com 67 profissionais. Segundo os dados, nos primeiros quatro meses de 2017, o Centro de Especialidades Médicas (CEM) realizou 5.442 consultas e procedimentos. No mesmo período deste ano, foram contabilizados 25.299 atendimentos, um aumento de 364%. O Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) aumentou em 125% o número de consultas na comparação com o ano passado: Foram 3.669 no primeiro quadrimestre de 2017 e 8.275 em 2018. O Laboratório Municipal, que em 2016 chegou a ficar fechado por falta de pagamento a empresa responsável, realizou nos primeiros quatro meses deste ano 165.460 exames, 42% a mais na comparação com o ano passado.

Especializadas

A partir de novos credenciamentos médicos, a Secretaria Municipal de Saúde também ofertou 4.322 consultas com ortopedista; 3.780 com neurocirurgião; 812 com neuropediatra; 1.839 com otorrino; 200 com endocrinopediatra; 349 com cirurgião vascular; 57 com infectologista; 55 com cirurgião do aparelho digestivo; 3 com cirurgião torácico, além de 256 pequenas cirurgias e biópsias. No Hospital Cataratas, através do convênio firmado com a Prefeitura, foram realizadas 254 consultas e 51 cirurgias eletivas de janeiro a abril deste ano. Ainda de acordo com o relatório, o número de atendimentos na Saúde Mental aumentou consideravelmente, o que significa que mais pessoas encontram amparo na busca pelo tratamento. O CAPS ad realizou 6.929 atendimentos no primeiro quadrimestre deste ano. O Caps 2 atendeu 4.324 pessoas e o Caps Infantil, 3.020 crianças e adolescentes.

Ribeirão prepara Plano Municipal de Saúde

By | Municípios | No Comments

A Secretaria da Saúde de Ribeirão Preto promoverá audiência pública para discutir com a população o Plano Municipal de Saúde (PMS) 2018-2021, documento central de planejamento com diretrizes e objetivos que nortearão a gestão na área da saúde nos próximos quatro anos. Além de conhecer o Plano Municipal de Saúde, a população tem a oportunidade de contribuir com o plano e ajudar no desenvolvimento e aperfeiçoamento da saúde pública da cidade. O secretário municipal da Saúde, Sandro Scarpelini, explica que é fundamental dar ampla divulgação e transparência nas propostas. “A população precisa conhecer o documento, opinar, apontar carências, dar sugestões para que possamos, juntos, elevar o nível da saúde pública oferecida às pessoas da cidade a patamares de países de primeiro mundo”.

Base

O documento tem como base a análise do perfil demográfico, epidemiológico e sanitário da população ribeirão-pretana, do Relatório da IX Conferência Municipal de Saúde, dos projetos prioritários das Redes de Atenção à Saúde, do diagnóstico realizado pelos gestores e propostas do Plano de Governo para a saúde da gestão entre 2017 e 2020. O PMS norteia todas as ações para o cumprimento dos preceitos do SUS na esfera municipal, coerentes e devidamente expressadas nas Programações Anuais de Saúde (PAS), tendo seus resultados avaliados nos Relatórios Anuais de Gestão (RAG) com a participação e controle da comunidade a partir do Conselho Municipal de Saúde e da realização das Conferências Municipais de Saúde. Também orienta a definição do Plano Plurianual (PPA), Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e a Lei Orçamentária Anual (LOA), consolidando-se como fundamental instrumento de planejamento. O Plano de Saúde configura-se como base para a execução, o acompanhamento, a avaliação da gestão do sistema de saúde e contempla todas as áreas da atenção à saúde, de modo a garantir a integralidade dessa atenção. O PMS é um instrumento de gestão dinâmico, sendo revisto a cada ano na PAS, em conformidade com as necessidades indicadas no monitoramento e avaliações expostas no RAG.

Mais cisternas no Ceará

By | Estados | No Comments

Milhares de famílias de 121 municípios no Ceará serão contemplados com mais obras de segurança hídrica. O estado receberá o investimento federal de R$ 68,5 milhões para a construção de cisternas para abastecimento de água com finalidades de consumo humano, produção e fornecimento para escolas. Segundo o governador Camilo Santana, a previsão é que cerca de 21 mil cisternas sejam construídas. Para ele, este será um passo importante no plano do governo do Ceará de garantir o acesso a fontes d’água em todo o estado. Camilo Santana informou que para universalizar o acesso à água no Ceará é necessário em torno de 80 a 85 mil cisternas de placas. “Queremos fortalecer esse planejamento a médio prazo, para nos tornarmos o primeiro estado brasileiro a universalizar essa política de abastecimento para a população”, afirmou.

Distribuição

Do total de recursos disponibilizados, R$ 30 milhões serão empregados em cisternas para consumo humano (1ª água) em 77 municípios, sendo 411 em escolas da rede pública estadual. Outros R$ 24,3 milhões serão utilizados para construção de cisternas de produção (2ª água) em 57 municípios. Os recursos são oriundos do governo federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS). Os R$ 14,1 milhões restantes são provenientes de uma parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que vão beneficiar mil famílias com cisternas de 2ª água, em dez municípios.

Segundo o ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, o investimento vai auxiliar no desenvolvimento da região e ajudará o Ceará a continuar o ritmo de crescimento dos últimos anos. “Todos juntos visam à autonomia das pessoas, a emancipação das famílias, a promoção de liberdade que é a missão fundamental de qualquer política pública na área social”. A Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA) lançará um edital estabelecendo os critérios de seleção e as regras para a construção das cisternas. Camilo Santana explicou que existe um minucioso estudo feito pelo Ministério para orientar a distribuição das cisternas de acordo com a necessidade e a demanda de cada município.

Brasil Mais Produtivo

By | Nacional | No Comments

O Ministério da Indústria, Comércio Exterior (MDIC) e Serviços abriu uma nova fase do programa Brasil Mais Produtivo (B+P) que visa aumentar a produtividade em processos produtivos de empresas industriais, com a promoção de melhorias rápidas, de baixo custo e alto impacto. A nova etapa vai atender, entre 2018 e 2019, 600 empresas dos segmentos moveleiro, metal mecânico, calçadista, de alimentos e bebidas e de vestuário, nos estados da Bahia, Goiás, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Santa Catarina e São Paulo. Em 2018, o programa vai atender um total de 300 empresas, e para 2019 está previsto o atendimento de outras 300, com a possibilidade de formação de cadastro de reserva. A distribuição de vagas é feita por meio de sorteio e para participar é preciso atender os requisitos do programa. O Brasil Mais Produtivo já atendeu 3 mil empresas de todas as regiões brasileiras. Os resultados apresentados foram bastante expressivos, com aumento médio da produtividade de mais de 52% na linha de produção selecionada. O custo da consultoria é subsidiado pelo B+P, que conta com recursos do MDIC, Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e Sebrae-Nacional.

Seleção

Para participar, a empresa precisa investir apenas cerca de 17% do valor, como contrapartida. O custo da consultoria será de R$ 18 mil por atendimento, sendo que o programa ficará responsável por R$ 15 mil e a empresa R$ 3 mil. A seleção das empresas participantes vai considerar critérios de densidade industrial, performance de execução na primeira fase do programa e representatividade regional. As empresas precisam ter entre 11 e 200 funcionários e não ter recebido consultoria em manufatura enxuta nos últimos 24 meses. Segundo dados do próprio programa, com os ganhos de produtividade alcançados, as empresas recuperam seus investimentos, em média, em menos de 24 dias de atividade, além de terem um ganho médio anual estimado de 11,37 vezes do investimento total.

Securitização de dívidas

By | Nacional | One Comment

Estados defendem negociar direitos de dívidas com setor privado

Operações seriam uma saída para as atuais dificuldades financeiras

Relator anunciou ser favorável à proposta sobre o assunto

Representantes de entidades de securitização estaduais defenderam a aprovação de proposta (PLP 459/17, do Senado) que permite a União, estados, Distrito Federal e municípios cederem direitos creditórios ao setor privado. A prática é conhecida como securitização. Pelo texto, a cessão com ônus vale para direitos originados de créditos tributários (taxas e impostos) e não tributários (multas), inclusive inscritos em dívida ativa. Para o diretor-presidente da Companhia Paranaense de Securitização, Rogério Perna, o texto confirma decisões da Secretaria do Tesouro e de outras entidades. “Vem corroborar o entendimento das procuradorias sobre a legalidade dessa operação. De fato, não é uma operação de crédito. E a aprovação trará um conforto adicional. Um novo marco regulatório para o setor”, explicou.

Perna ressaltou que o projeto não implica em qualquer compromisso do ente em garantir o recebimento do valor do crédito.

“Se lá na frente o contribuinte não pagar, o ente não fará o pagamento pelo contribuinte”, disse. Com a vedação, a operação não poderia ser categorizada como de crédito e, assim, estaria dentro do previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF, Lei Complementar 101/00). O diretor-presidente da Companhia Paulista de Securitização, Jorge Ávila da Silva, afirmou que a prática já captou R$ 2,1 bilhões para o estado nos últimos anos. Eles participaram de audiência pública da Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados.

Dificuldades

O relator na comissão, deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR), afirmou que a proposta é uma saída para as dificuldades de financiamento atuais dos estados. “Os estados não têm mais bancos, não têm mais emissão de títulos, não emitem moeda. Restam poucos mecanismos de financiamento”, alertou. Na opinião do deputado Alfredo Kaefer (PP-PR), a proposta deveria negociar toda a dívida dos contribuintes com os entes, incluindo ativos de difícil resgate – conhecidos como créditos podres.

“O texto atual é quase um empréstimo consignado, não tem nada mais seguro que repassar isso para um banco”, ponderou. Um exemplo seriam créditos a receber da massa falida de uma empresa que, por lei, deve priorizar sanar eventuais dívidas trabalhistas. Segundo Hauly, “não é da boa prática” usar o crédito podre, pela incerteza em haver o recebimento dos valores no futuro. O relator, que solicitou o debate, adiantou que seu parecer será pela aprovação do texto do Senado sem alterações.

Antecipação

O ente federado (por exemplo, um estado) poderá criar uma sociedade de propósito exclusivo (SPE), a quem repassará direitos lastreados em dívidas pendentes de contribuintes, inclusive as que foram parceladas em programas como o Refis. A SPE estará autorizada a emitir títulos vinculados a esses direitos creditórios, os quais serão vendidos para empresas ou fundos de investimentos. Com a operação, o estado antecipa receitas. Para o investidor privado, a vantagem será comprar os direitos com deságio (desconto) – o projeto não trata de valores para o deságio – ou receber juros da SPE, a depender da configuração adotada.A receita obtida com a operação será destinada, meio a meio, para a previdência social própria dos entes ou geral (no caso da União) e para investimentos públicos. Ela não poderá ser usada para despesas correntes (gastos com custeio e manutenção das atividades da administração pública), possibilidade vedada pela LRF. Segundo o economista e pesquisador da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) da Universidade de São Paulo (USP) Paulo Tafner, o repasse para a previdência social dos entes vai ser “um poderoso instrumento” para os gestores, “mitigando um enorme drama”.